Reunimos algumas informações para criar este artigo: “O que você precisa saber sobre o Coronavírus – COVID-19.”

Muito tem se falado sobre a doença a ponto de gerar pânico em diversas pessoas. Informação é importante para que possamos agir de forma consciente, prudente, com o objetivo de prevenção e contenção.

Sem informação o ser humano tende a agir de forma inconsciente, com isto, é possível gerar mais medo e desespero na população.

O que é o Coronavírus?

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (SARS-CoV-2) foi descoberto em 31 de dezembro de 2019, após casos registrados na China, e provoca a doença chamada de coronavírus (COVID-19).

A maioria das pessoas é infectada com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.

sintomas

Os sinais e sintomas do coronavírus são principalmente respiratórios, semelhantes a um resfriado. Podem, também, causar infecção do trato respiratório inferior, como as pneumonias.

No entanto, o coronavírus (SARS-CoV-2) ainda precisa de mais estudos e investigações para caracterizar melhor os sinais e sintomas da doença.

Os principais são sintomas conhecidos até o momento são:

  • Febre
  • Tosse
  • Dificuldade para respirar.

Se você apresentar febre e mais um sintoma gripal, deve procurar atendimento médico imediatamente e informar detalhadamente o histórico de viagem recente ou contato com pessoas que viajaram recentemente e seus sintomas.

forma de transmissão do vírus

As formas de transmissão do novo coronavírus ainda estão em processo de investigação, mas já se sabe que acontece de pessoa para pessoa. Qualquer pessoa que tenha contato próximo (cerca de 1 metro) com alguém com sintomas respiratórios está em risco de ser exposta à infecção.

Alguns vírus são altamente contagiosos (como sarampo), enquanto outros são menos. Ainda não está claro com que facilidade o coronavírus se espalha de pessoa para pessoa, mas já se sabe que a transmissão é menos intensa que do vírus da gripe.

De uma forma geral, a principal forma de transmissão dos coronavírus se dá por contato próximo* de pessoa a pessoa.

* Definição de contato próximo: Qualquer pessoa que cuidou do paciente, incluindo profissionais de saúde ou membro da família; que tenha tido contato físico com o paciente; tenha permanecido no mesmo local que o paciente doente (ex.: morado junto ou visitado).

A transmissão dos coronavírus costuma ocorrer pelo ar ou por contato pessoal com secreções contaminadas, como:

  • Gotículas de saliva;
  • Espirro;
  • Tosse;
  • Catarro;
  • Contato pessoal próximo, como toque ou aperto de mão;
  • Contato com objetos ou superfícies contaminadas, seguido de contato com a boca, nariz ou olhos.

O período médio de incubação por coronavírus é de 2 a 5 dias, com intervalos que chegam a 14 dias, período em que os primeiros sintomas levam para aparecer desde a infecção.

O que é período de incubação: é o tempo decorrido entre a exposição de uma pessoa a uma doença e a manifestação dos primeiros sintomas. Neste período não há manifestação da doença e o hospedeiro (humano) não manifesta sintomas, pois todo o processo está acontecendo no âmbito celular.

Portanto, se você fez alguma viagem, o recomendado é ficar este período isolado para averiguar possíveis sintomas e procurar orientação médica, mesmo não apresentando os sintomas descritos.

diagnóstico

O diagnóstico do coronavírus é feito com a coleta de materiais respiratórios (aspiração de vias aéreas ou indução de escarro). Na suspeita de coronavírus, é necessária a coleta de uma amostra, que será encaminhada com urgência para o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen).

Para confirmar a doença, é necessário realizar exames de biologia molecular que detecte o RNA viral. O diagnóstico do coronavírus é feito com a coleta de amostra, que está indicada sempre que ocorrer a identificação de caso suspeito.

Os casos graves devem ser encaminhados a um Hospital de Referência para isolamento e tratamento.

O Ministério da Saúde desenvolveu 1 aplicativo que dá informações sobre o covid-19, o novo coronavírus. A plataforma digital reúne informações oficiais e orientações sobre os sintomas, indicando quando é necessário ir a hospitais.

O aplicativo está disponível desde 6ª feira (13.mar2020) para download grátis em celulares Android e Iphone (IOS). Por meio da geolocalização, indica qual a unidade de saúde mais próxima do usuário.

Como podemos prevenir?

 

Devem ser adotados cuidados básicos para reduzir o risco geral de contrair ou transmitir infecções respiratórias agudas. Algumas medidas são:

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, respeitando os 5 momentos de higienização. Se não houver água e sabonete, usar um desinfetante para as mãos à base de álcool;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes;
  • Ficar em casa quando estiver doente;
  • Cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo;
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
  • Profissionais de saúde devem utilizar medidas de precaução padrão, de contato e de gotículas (máscara cirúrgica, luvas, avental não estéril e óculos de proteção).

Para a realização de procedimentos que gerem aerossolização de secreções respiratórias como intubação, aspiração de vias aéreas ou indução de escarro, deverá ser utilizada precaução por aerossóis, com uso de máscara N95.

Além disso, cuidado com as FAKE NEWS, veja no link abaixo várias matérias falsas sobre a doença: https://www.saude.gov.br/component/tags/tag/novo-coronavirus-fake-news

vídeos de orientação geral:

Prevenção:

Cuidados e Higiene Pessoal:

Maneira correta de se lavar as mãos nos dias de hoje:

Recomendações para as empresas:

  1. Não deixe faltar sabonete nos banheiros da empresa
  2. Disponibilize álcool gel 70% nos ambientes de trabalho
  3. Aumente o rigor com a limpeza de áreas comuns como refeitórios, banheiros, coworking, salas de reunião.
  4. Intensifique a higienização de maçanetas, corrimãos, pias e demais superfícies de contato frequente. Importante usar água e sabão, álcool a 70%. Só tirar o pó não é o suficiente.
  5. Reforce a orientação para que os EPI´s sejam higienizados diariamente. Os equipamentos em mau estado devem ser substituídos pela empresa.
  6. Estimule sua equipe a se vacinar contra gripe comum (cuja campanha começa em 23 de março) e sarampo.
  7. Adie viagens a negócios a regiões mais afetadas. Se possível substitua-as por videoconferência.
  8. Dissemine orientações sobre higiene e prevenção entre seus funcionários.
  9. Funcionários com suspeita de contaminação pelo coronavírus devem procurar a rede pública de saúde. Se recomendado pelo médico deve ficar em casa até se recuperar. Considere como falta justificada, sem qualquer prejuízo ao trabalhador.
  10. Estimule e apoie os trabalhos home-office e evite reuniões e treinamentos.

Material de apoio a ser distribuído para os funcionários:

a) Material lúdico para as crianças

b) Folder sobre o Coronavírus

c) Informe da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI) Sobre o Novo Coronavírus – 12/03/2020

d) Link do site do Governo com materiais para impressão e divulgação na empresa

PLANO DE AÇÃO PARA AS EMPRESAS

 

Como medida preventiva muitas empresas apoiam as atividades de home office e queremos deixar aqui algumas diretrizes e orientações para apoiar em um plano de ação caso seus funcionários apresente sintomas.

a) Pessoas com Sintomas do Coronavírus/COVID19

Devem imediatamente procurar orientação médica e ir para casa. A política de home office deve ser altamente encorajada pela empresa.

Permanecer em home office por pelo menos 14 dias e fazer acompanhamento dos sintomas. Caso permaneça apresentando sintomas como febre (37,3 ou mais) e/ou tosse, busque orientação médica para confirmar a infecção.

b) Pessoas com a infecção do Coronavírus/COVID19

Ser proibida de utilizar os espaços do escritório. Deverá ficar em quarentena por recomendação médica.

Será necessário exame para retornar para a empresa após o período de quarentena, mesmo assim, é extremamente recomendado continuar por mais 14 dias em home office.

orientação de ações nas organizações

Orientação 1:
Como forma de prevenção proibir a entrada de pessoas que estejam retornando de viagens no escritório devido ao alto risco de contaminação. Orientar que procure o médico e faça trabalho home office

Orientação 2:
Restringir o acesso do público externo no escritório e visitas.

Orientação 3:
Em caso de sintomas de algum funcionário, a pessoa deverá ficar de home office como medida preventiva por 14 dias.

Orientação 4:
Para os casos positivos dentro da empresa, a pessoa deverá ser imediatamente afastada e realizar uma análise coletiva de todas as pessoas que tiveram contato com o funcionário. Todas pessoas que tiveram contato deverão permanecer em casa e fazer trabalho home office.

CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE O CORONAVÍRUS

Acompanhe os casos existentes:
https://experience.arcgis.com/experience/685d0ace521648f8a5beeeee1b9125cd

O “paciente número 1” do Brasil está curado e teve alta.
O homem, morador da capital paulista de 61 anos, havia acabado de fazer uma viagem à Itália quando foi diagnosticado com a doença, no dia 25 de fevereiro.”

“Paciente 1” do coronavírus no Brasil é curado

Por fim, é importante lembrar que a prevenção é fundamental para que a proliferação do vírus aconteça, mas o mais importante é que mantenhamos a calma e tenhamos ações conscientes para que o desespero e o pânico não cause um problema maior.

As nossas mentes, os nossos sentimentos e nossos pensamentos podem apoiar na proliferação da doença ou na cura, vamos procurar manter nossos pensamentos positivos, confiantes e mentalizar conjuntamente uma união e cura de todo o mundo.

Veja nosso Podcast sobre Home Office:

 

APRENDER COM A EXPERIÊNCIA DO OUTRO FAZ COM QUE NÃO PRECISEMOS PASSAR PELAS MESMAS DIFICULDADES QUE PASSARAM