Técnico em Antropologia Humanitária, Engajamento Comunitário e Promoção de Saúde para América Latina

  • Salário:
    Salário a combinar
  • Nível:
    Profissional
voltar

Descrição da Vaga

Local de trabalho:
  • Rio de Janeiro, RJ, BR (1 vaga)
Horário:

09 às 18h

Nível:

Profissional

Contratação:

Efetivo – CLT

COLOCAÇÃO NA TABELA ORGANIZACIONAL

O Técnico em Antropologia Humanitária, Engajamento Comunitário e Promoção de Saúde para a América Latina reporta para Unidade Médica do Brasil (BRAMU), e está funcionalmente ligada ao departamento médico baseado em Barcelona.

60% da posição é baseada em visitas nos projetos do terreno de MSF. 40% são baseados na BRAMU, que fica localizada no escritório de MSF-Brasil no Rio de Janeiro, onde se dará suporte às missões (à distância), desenvolvimento de conteúdos técnicos, além da realização de briefings e reuniões nos períodos entre missões. Esta posição está totalmente dedicada a apoiar operações da célula de Barcelona na América Latina.


CONTEXTO E OBJETIVOS GERAIS

Contribuir na implementação dos componentes de intervenção da Antropologia Humanitária (HA), Engajamento Comunitário (CE) e Promoção da Saúde (HP) nas diferentes missões de MSF na América Latina. O profissional trabalhará em todas as missões da Colômbia, Venezuela, El Salvador e México, de acordo com o planejamento.

Enquanto estiver em uma missão, ele(a) trabalha sob as estruturas hierárquicas regulares das missões, em estreita cooperação com os outros profissionais do terreno.

O planejamento de visitas será feito, de acordo com as necessidades, em conjunto com Consultor de Saúde da célula, o coordenador médico, o coordenador-geral da missão e com o referente em Antropologia Humanitária, Engajamento Comunitário e Promoção de Saúde de Barcelona.


RESPONSABILIDADES E DESCRIÇÃO DAS ATIVIDADES NO TERRENO

  • Juntamente aos referentes de Antropologia Humanitária, Engajamento Comunitário e Promoção de Saúde, planejar e conduzir avaliações, desenvolver planejamentos e trabalhar com as equipes de campo na implementação de estratégias acordadas com outras partes;  

  • Juntamente ao consultor de saúde, acompanhar a implementação do componente Antropologia Humanitária, Engajamento Comunitário e Promoção de Saúde nas missões de MSF. Isso inclui monitorar a implementação de recomendações técnicas acordadas após uma visita técnica; 

  • Avaliar a pertinência da integração de componentes de Antropologia Humanitária, Engajamento Comunitário e Promoção de Saúde nas atividades do projeto em todos os níveis. Debater com as equipes no terreno e propor possíveis melhorias; 

  • Contribuir no desenvolvimento de materiais contextualizados de promoção de saúde para uso no terreno;  

  • Realizar sessões de treinamento em todos os níveis conforme necessário para as equipes de MSF em estratégias de Antropologia Humanitária, Engajamento Comunitário e Promoção de Saúde, além de ferramentas de planejamento e avaliação; 

  • Treinar supervisores locais na gestão de Riscos de Saúde Humana (HHRR), bem como no monitoramento e avaliação de atividades;  

  • Contribuir para o estabelecimento de uma estratégia de engajamento comunitário e para os canais de comunicação com as sociedades locais, comunidades ou bairros onde MSF está presente, trabalhando em conjunto com o coordenador-geral e coordenador de projeto;   

  • Garantir que exista uma estratégia de engajamento comunitário coerente com as partes interessadas. Para isso, tarefas relevantes são conduzidas juntamente ao coordenador-geral, coordenador-geral assistente ou adjunto, coordenador médico, coordenador de projeto, coordenadores de projeto assistentes ou adjuntos, médico referente do projeto e coordenador de atividades ligadas a promoção de saúde e engajamento comunitário. Outras áreas também podem ser relevantes, dependendo das necessidades do projeto;  

  • No caso de uma primeira missão ou de uma pessoa inexperiente ligada à antropologia humanitária, engajamento comunitário e promoção de saúde que tenha algum cargo de gerenciamento, o profissional também elaborará um programa de "treinamento"; 

  • Capitalizar e compartilhar experiências de terreno para melhorar as práticas ligadas à antropologia humanitária, engajamento comunitário e promoção de saúde sempre que necessário; 

  • Identificar novos tópicos que possam carecer de mais pesquisas, desenvolvimento e inovação;  

  • Colaborar ativamente com as contrapartes transversais envolvidas no departamento médico, operacional, logístico e de comunicação; 

  • Assegurar uma atualização constante nos debates técnicos de MSF, seminários médicos, grupos de trabalho, conferências internacionais. 

  • Ajudar na identificação de necessidades e lacunas na programação existente (do Ministério da Saúde, de MSF ou de outros agentes), bem como na formulação de propostas de estratégias de intervenção de MSF adequadas a contextos específicos; 

  • Assistir e apoiar as equipes do terreno na implementação prática das atividades do programa acordadas pelo centro operacional; 

  • Fornecer treinamentos no terreno (para pessoal médico e não médico, nacional, internacional) sobre a implementação das atividades de antropologia humanitária, engajamento comunitário e promoção de saúde, com forte enfoque nos procedimentos, ferramentas, coleta de dados de forma precisa, bem como na supervisão e análise dessas informações; 

  • Quando solicitado, o técnico regional em antropologia humanitária, engajamento comunitário e promoção de saúde orientará uma equipe nacional ou internacional, que será o ponto focal para essa atividade específica (incluindo coordenadores-gerais, coordenadores de projeto, médicos referentes de projeto, coordenador de atividades etc) com o principal objetivo de deixar a capacitação certa para continuar o que foi implementado;  

  • Cada visita aos projetos deverá ser seguida de um relatório de implementações em no máximo três semanas após sua realização. Alguns indicadores serão fornecidos para facilitar a verificação de progresso do status e da qualidade da integração do responsável por antropologia humanitária, engajamento comunitário e promoção de saúde. 

Requisitos

Educação

Diploma universitário em ciências sociais, comunicação ou áreas afins.


Línguas

Fluência em espanhol. Português e inglês são ativos fortes.


Experiência

Experiência de trabalho essencial de pelo menos dois anos em empregos relacionados à saúde pública, desenvolvimento ou ajuda humanitária.

Desejável ter experiência de trabalho com MSF ou outras organizações em cargo de coordenação. 

Desejável ter experiência de trabalho em contextos humanitários.

Conhecimento: Noções fundamentais de informática (Word, Excel e Internet)


Competências

  • Compromisso com os princípios e valores de MSF; 
  • Promover a consciência intercultural; 
  • Ter visão estratégica; 
  • Orientação para resultados e qualidade; 
  • Orientação para serviço; 
  • Ter planejamento e organização; 
  • Ter iniciativa e inovação; 
  • Saber trabalhar em equipe e cooperação; 
  • Ter espírito de liderança; 
  • Saber lidar com gestão e desenvolvimento de pessoas;  
  • Ter consciência e gestão de segurança.

Benefícios

Assistência médica
Assistência odontológica
Auxílio creche
Seguro de Vida
Vale-alimentação
Vale-refeição
Vale-transporte

Empresa Anunciante

MSF - Médicos Sem Fronteiras - Vagas Brasil

MSF - Médicos Sem Fronteiras - Vagas Brasil

Médicos Sem Fronteiras (MSF) é uma organização humanitária internacional que lev...

CONHEÇA A EMPRESA

Código: 01835

Data de Cadastro: 14/03/2018

Data de Atualização: 02/04/2018